Como Funciona um Díodo

Laboratório Electrónico > Como Funciona um Díodo

O Díodo, que é composto por uma Junção p-n, pode ser considerado um dos mais simples e dos mais importantes elementos electrónicos. É um dispositivo de dois terminais, Figura 1a. A Figura 1b representa o seu esquema simbólico, onde o terminal “+” se designa por Ânodo e está ligado à Região p, e o terminal “-” se designa por Cátodo e está ligado à Região n. O Díodo opera em três estados distintos: Polarização Directa, Polarização Inversa e Disrupção, Figura 2.

Figura 1a: Díodo

Figura 1b : Esquema Simbólico de um Díodo

Figura 2: Relação entre a Tensão e a Corrente de um Díodo

Por forma a Polarizar Inversamente um Díodo, o Díodo é colocado em Série com a Fonte de Alimentação Contínua CC (DC) e com uma Resistência Limitadora de Corrente, ligando-se o Cátodo à Resistência Limitadora de Corrente e o Ânodo ao terminal Negativo da Fonte de Alimentação Contínua, Figura 3. Neste caso, existe uma Diferença de Tensão Negativa (Vd) através do Díodo e somente uma corrente negligenciável (da ordem dos nA, 1 nA = 10–9 A) pode passar através do Díodo, designando-se por Corrente de Fuga.

Figura 3: Um Díodo Polarizado Inversamente

Um DEL (LED) é um tipo de Díodo, Figura 5a. A Figura 5b mostra o seu esquema simbólico. É geralmente feito de Arseneto de Gálio (GaAs). Quando Polarizado Directamente emite Luz Visível. Quando Polarizado Inversamente, o DEL (LED) comporta-se como um Circuito aberto e não emite Luz.

Figura 4a: DEL (LED)

Figura 4b: Esquema Simbólico de um DEL (LED)

Laboratório Electrónico > Como Funciona um Díodo